Considerações Gerais da Coleta do Dente

Como é a parceria do CCB com os Dentistas?

Primeiramente, é realizado um cadastro mediante contato telefônico e todas as informações referentes à coleta são passadas ao dentista. Nesse mesmo contato uma visita do nosso representante comercial já poderá ser agendada e assim como o envio de material de divulgação. Para o dentista coletor, o CCB disponibiliza um ressarcimento dos materiais utilizados pela realização de cada coleta. Para mais informações contate o departamento de relacionamento com cliente.

Existe exclusividade para Dentistas na localidade?

O CCB não trabalha com parcerias exclusivas. 

Qual o momento certo para realizar a extração do dente?

O momento ideal para se realizar a extração é quando tem início a esfoliação do dente; porém estágios mais avançados de rizólise não inviabilizam a coleta, desde que, o dente apresente tecido pulpar.

Existe um “melhor dente” para coletar?

Não. Todos os dentes, uma vez contendo tecido pulpar, são viáveis para a obtenção das células-tronco.

Como realizo a profilaxia?

A profilaxia deve ser realizada da maneira habitual, com pasta profilática, bicarbonato de sódio ou clorexidina alcoólica. O mais importante é não deixar os produtos entrarem em contato com o tecido pulpar.

Posso coletar um dente com cárie?

A coleta de um dente cariado deve ser evitada ao máximo, ou seja, sendo aceitável apenas em caso de último dente decíduo da criança.

Como proceder no caso de um dente do siso?

A coleta do dente do siso segue os mesmos procedimentos da coleta do dente de leite. Nos casos em que os dentes precisem ser fraturados, todos os fragmentos devem ser colocados no tubo de coleta. Dentes íntegros, recomendamos não realizar a remoção dos tecidos periodontais (capuz e bainha) e se possível, realizar uma pequena abertura no canal radicular para facilitar o acesso com uma lima odontológica.

Posso coletar um dente permanente?

A coleta do dente permanente tem as suas particularidades, uma vez que a polpa sofre o processo de envelhecimento tornando-se cada vez mais fibrosa e com uma quantidade/qualidade menor de células-tronco. Desta forma, o sucesso do procedimento é decorrente da qualidade do material recebido.

Posso coletar mais de um dente e coloca-los no mesmo kit?

A coleta de mais de um dente pode ser colocada no mesmo tubo, desde que seja do mesmo paciente e que nenhum dos dentes apresente cárie.

Já realizei a coleta, o que devo fazer?

Colocar o tubo de coleta dentro da caixa de isopor contendo gelo artificial (gelox) previamente resfriado, preencher o documento de coleta e acionar o CCB para a retirada do material.

Posso ter kit de coleta no consultório?

O envio de kit de coleta para dentistas parceiros do CCB é realizado mediante solicitação, pois os mesmos apresentam prazo de validade.

Como saberei se o dente coletado deu certo?

O dentista responsável pela coleta irá receber um e-mail e um contato telefônico para lhe informar sobre a viabilidade do material. Após a finalização do processo, ou seja, a criopreservação das células-tronco um novo e-mail será enviado.

O que é uma coleta de urgência?

A coleta de urgência se caracteriza por uma contratação de serviço sem a assinatura prévia do contrato. Desta forma, só são aceitas coletas de urgência para casos de último dente decíduo da criança.

Se não tiver o kit de coleta no momento da extração, o que fazer?

Sendo o último dente, ou seja, uma coleta de urgência, o dente deverá ser acondicionado em um frasco com solução fisiológica. É imprescindível informar o CCB imediatamente após a coleta para garantir a viabilidade do material.

Se o CCB fechar, o que acontecerá com as células-tronco armazenadas?

Se isto acontecer um dia... As células-tronco armazenadas no CCB serão transferidas para outro banco de células-tronco, que continuará mantendo-as em perfeitas condições, pois os contêineres permitem uma lacração e transporte, sem qualquer dano às células-tronco lá armazenadas. 

E se eu ainda não assinei o contrato e me decidir de última hora?

Aconselhamos sempre o contato antecipado para preparação de toda a documentação. Caso não seja possível, ligue para nossos telefones de urgência, solicite a coleta, e assim que o profissional chegar ao local, com o KIT de COLETA, o pai deverá assinar um TERMO DE RESPONSABILIDADE.

 

Critérios de elegibilidade do dente

Uma polpa saudável contém células-tronco viáveis. Para uma polpa ser considerada saudável, o dente deve ter um suprimento de sangue intacto, ser livre de infecção, cárie profunda e outras patologias. As células-tronco não estão concentradas dentro de qualquer área particular de uma polpa saudável, mas são difusamente espalhadas por toda a polpa, junto ao nervo e vasos da polpa. Critérios específicos devem ser cumpridos para que um dente possa ser elegível para coleta de células-tronco.

O CCB listou abaixo três grupos distintos de dentes em que os pacientes têm a oportunidade de coletar suas células-tronco. É melhor coletar as células-tronco quando o paciente é jovem e saudável, pois as células-tronco são mais proliferativas. As células-tronco também podem ser coletadas a partir dos dentes permanentes de indivíduos de meia-idade. 

Dentes decíduos:

As polpas de dentes decíduos saudáveis são uma fonte rica de células-tronco viáveis. Os dados científicos demonstram que as células-tronco isoladas de polpas saudáveis dos dentes decíduos são altamente proliferativas, mesmo quando a polpa é reduzida. Certos fatores irão determinar se as células-tronco viáveis podem ser coletadas a partir de dentes decíduos.

O dente decíduo ideal para a coleta de células-tronco é um canino ou incisivo que já começou a afrouxar (imagem ao lado), tem mais do que um terço da estrutura de raiz deixada intacta, e não é extraído por razões, tais como infecção ou associações patológicas. Molares decíduos podem ter as suas câmaras pulpares obliteradas pela erupção permanente e em alguns casos, o tecido pulpar remanescente pode não ser adequado para a coleta de células-tronco. Molares retidos e molares extraídos por motivos ortodônticos podem também ser considerados para a coleta de células-tronco.

Supranumerário é outra fonte ideal de células-tronco dentais. Na maioria dos casos, quando esses dentes são removidos, eles ainda têm uma raiz completa, fornecimento de sangue intacto e polpa saudável.

As polpas de dentes esfoliados naturalmente ou dentes que caíram por conta própria são mais susceptíveis a estarem necrosadas, uma vez que foram separadas do seu fornecimento de sangue. Um paciente trazendo um dente em mão para o consultório não é um bom candidato para a coleta de células-tronco. Caso seja o último dente decíduo da criança, este deve ser considerado.

Um dente excessivamente frouxo ou um que está “pendurado por um fio” não é um bom candidato para a coleta de células-tronco. Mesmo que o dente esteja ainda ligado à gengiva, a polpa provavelmente é necrótica. Caso seja o último dente decíduo da criança, este deve ser considerado.

Dente do Siso:

A polpa saudável de dentes do siso é outra excelente fonte viável de células. Porções inteiras ou seccionadas de terceiros molares contendo polpa saudável podem ser obtidas no momento da remoção. Quando um terceiro molar impactado precisa ser segmentado para a remoção, a polpa é muitas vezes exposta, porém não inviabiliza a coleta.

Terceiros molares em desenvolvimento têm um maior volume de tecido pulpar do que dentes maduros com as suas raízes completamente formadas. O capuz pericoronário também é uma fonte de células-tronco que deve ser colocado juntamente ao dente extraído.

O melhor é realizar a coleta desses dentes durante a fase de desenvolvimento (entre 16-20 anos de idade), quando as células-tronco são mais ativas na formação das estruturas de raiz.

Os terceiros molares com polpas saudáveis também podem ser utilizados para a coleta em momento mais tardio da vida do paciente. Deve-se apenas realizar um pequeno acesso na porção terminal da raiz para a retirada a polpa.

Dentes permanentes:

Todos os dentes permanentes com polpa saudável são potenciais fontes de células-tronco.

Pré-molar que necessita ser removido por indicações ortodônticas é um exemplo para a realização da coleta.

Os dentes permanentes a evitar incluem: tratados endodonticamente, com infecções ativas, doença periodontal severa e mobilidade excessiva, com cárie profunda ou grandes restaurações, com esclerose ou condensação óssea e com câmaras pulpares calcificadas.

A idade é importante. As células-tronco da polpa se tornam menos proliferativas com o passar da idade dos indivíduos, por isso é melhor realizar a coleta das células-tronco na primeira oportunidade.

Central de Atendimento:
Telefone: (11) 3057-0510 | DDG: 0800.770.1112 | E-mail: ccb@ccb.med.br
Nova sede: Av. Indianópolis, 1843/1861 - Indianópolis - São Paulo/SP - CEP: 04063-003