Notícias

Células-tronco e as nova tecnologia

Uma descoberta de pesquisadores da Queen’s University Belfast e do King’s College London (KCL) pode revolucionar o tratamento de doenças cardiovasculares vasculares e relacionadas ao diabetes.

Eles também descobriram que as células-tronco produzidas podem gerar e substituir células danificadas dentro dos vasos sanguíneos. Este tratamento pode prevenir uma série de complicações relacionadas à vascularização, incluindo ataques cardíacos, doenças renais, cegueira e amputações em pessoas com diabetes .

A principal investigadora, a Dra. Andriana Margariti do Instituto Wellcome-Wolfson para Medicina Experimental da Queen’s University em Belfast, explica: “Ser capaz de produzir grandes quantidades de células estaminais a partir de poucos mililitros de sangue num curto espaço de tempo é verdadeiramente inovador, poderia revolucionar a forma como tratamos um vasto número de doenças dos vasos sanguíneos”.

“Anteriormente, este processo de transformação celular envolveria uma biópsia de pele, ou grandes volumes de sangue, o que simplesmente não é viável para muitos pacientes, pois é um processo arriscado que pode levar um longo período de recuperação. Este estudo se concentrou em células-tronco para doenças vasculares, mas o mesmo processo pode ser usado para produzir células-tronco para vários órgãos, incluindo o cérebro e os rins, o que tem enormes implicações para o futuro dos cuidados de saúde”, finalizou a Dra Margariti ao 4Medic.

Os pesquisadores da Queen e da KCL também descobriram que a ativação de um gene específico conhecido como Endothelial Specific Molecule 1 (ESM1) nas células-tronco poderia aumentar a produção e a função de células endoteliais recém-geradas, que desempenham um papel fundamental em várias doenças vasculares.

As células endoteliais revestem os vasos sanguíneos, atuando como uma barreira protetora. Como a camada superior de células nos vasos sanguíneos, são essas células que se tornam seriamente danificadas em doenças cardiovasculares, e isso geralmente é acelerado em pacientes com diabetes.

O estudo pré-clínico, publicado na Stem Cells, mostrou que as células-tronco que expressam o gene ESM1 têm um notável potencial regenerativo e aumentaram significativamente o fluxo sanguíneo quando foram testadas em vasos sanguíneos danificados.

Em um conceito conhecido como terapia celular, o dano pode ser reparado através do transplante de células endoteliais saudáveis. Através da tecnologia desenvolvida, agora é possível produzir células-tronco para transplantar vasos sanguíneos danificados. Descobriu-se que ativar o gene específico ESM1 irá melhorar a produção e função das células endoteliais, revertendo as células danificadas, o que pode mudar a vida, já que os resultados mostraram que o reparo dessas células pode deter as doenças progressivas, o que impedirá a cegueira e as amputações.

Agora os pesquisadores irão concentrar-se na triagem de drogas para ver quais tratamentos melhorarão a função dessas células e, finalmente, melhorar a vida de milhões de pessoas atingidas por essas doenças.

Comentário CCB:

Resultado idêntico foi conseguido na USP de Ribeirão Preto, em acompanhamento por 10 anos em pacientes diabéticos tratados com terapia celular, pela equipe Dr. Júlio Voltarelli (médico brasileiro famoso por ser um dos pioneiros das pesquisas com células-tronco do Brasil, faleceu em março de 2012).

Fonte: Notícias 4Medic

Publicado em: 16 de maio de 2019 às 12:05.

Central de Atendimento: 
São Paulo e Região: (11) 3059-0510 | DDG: 0800.770.1112 | E-mail: ccb@ccb.med.br
Av. Indianópolis, 1843/1861 - Indianópolis - São Paulo/SP - CEP: 04063-003