Atendimento por WhatsApp 55 11 99508-6782

Notícias

Células-Tronco vs COVID-19

Células-Tronco

Dentre os diferentes tipos de células-tronco (CT), encontramos principalmente:

- Células-tronco Hematopoiéticas (CTH) são responsáveis pela produção de sangue (3 milhões de células por segundo) e podem ser retiradas da medula e do sangue do cordão umbilical. Servem para tratar mais de 80 doenças hematológicas (as principais são as Leucemias e Linfomas). Estes tratamentos já são realizados desde a década de 60, inclusive no Brasil. 

- Células-tronco Mesenquimais (CTM) foram descobertas mais recentemente, e são responsáveis pela formação dos mais de 200 tipos de tecidos que formam nosso organismo. Os estudos mostram que estas CT servem para tratar doenças degenerativas, autoimunes e traumas/lesões nos tecidos. Em situações de lesão em órgão ou tecido, as CTM migram ao local lesionado e iniciam uma regeneração. Inicialmente, estas células emitem vesículas que agem para reduzir o impacto do sistema imunológico infiltrado no local, eliminando-o daquele ambiente;  provocam um aumento de novos vasos sanguíneos e consequente redução da mortalidade de células. Assim, forma-se um forte processo anti-inflamatório e antifibrótico. Contudo, os tratamentos com CTM ainda são considerados experimentais no Brasil.

A coleta de CT deve ocorrer principalmente pós-parto (cordão umbilical) até juventude (polpa de dente), pois a partir do fim da juventude as CTM e CTH começam a perder a sua quantidade e qualidade, iniciando assim o lento processo de envelhecimento.

Corona Vírus

O SARS-CoV-19 é um vírus do grupo CORONA, que penetra no organismo através das vias aéreas superiores e após superar o sistema imunológico do paciente migra principalmente para os pulmões. Outros órgãos afetados são: intestino, rins e micro-vascularização.

  • Nos pulmões o SARS-CoV-19 penetra nas células que revestem os alvéolos, provocando forte inflamação local e como consequência os pulmões se enchem de líquido, pus e células mortas, além da formação de fibrose causada principalmente pelo sistema imune atuado no combate a infecção,  dificultando muito a respiração.
  • Sistema gastrointestinal sofre o mesmo processo inflamatório, causando diarreias.
  • No Sistema circulatório, o vírus ataca células da parede dos micro-vasos, causando inflamação e consequente hipercoagulação do sangue, o que impede a oxigenação sanguínea e pode causar o surgimento de trombos, o que pode levar a troboembolias em diversos órgãos.
  • A Tempestade imunológica é uma reação exacerbada do sistema imunológico, que passa a produzir excesso de citoquinas pró-inflamatórias que potencializam ainda mais o processo inflamatório, na tentativa  de controlar a infecção.

A COVID-19 tem se mostrado como uma doença fortemente inflamatória, porém o uso de anti-inflamatórios é restritivo, pois estes causam um aumento na presença de proteínas nas membranas das células, proteínas estas que são a porta de entrada do vírus para dentro das células.

Células-Tronco na COVID-19

Levando em consideração os efeitos inflamatórios e a quantidade de lesões causadas pela infecção pelo SARS-CoV-19 no organismo, é totalmente factível e amparada cientificamente a possibilidade de utilização de CTM em casos graves do COVID-19, pois os efeitos anti-inflamatórios e regenerativos das CTM poderão beneficiar muito o restabelecimento da saúde do paciente. Em pesquisa realizada em bancos de dados sobre estudos clínicos realizados no mundo, foram encontrados cerca de 10 ensaios clínicos em desenvolvimento usando produtos de terapia celular (células-tronco) para tratamento da COVID-19. Em geral, as abordagens incluem terapias celulares destinadas a promover a resposta imune e a gerenciar respostas inflamatórias em pacientes com a doença, bem como abordagens para reparar tecidos danificados a longo prazo.

Sendo assim, a ANVISA emitiu um nota técnica (NT Nº 21/2020 / SEI / GSTCO / DIRE1 / ANVISA) com orientações sobre ensaios clínicos e o uso experimental de produto de terapia avançada  para o tratamento de pacientes acometidos por COVID-19. Desta forma, os CPC – Centro de Processamento Celular – regulamentados pela ANVISA e com suas licenças sanitárias válidas, estão em condições técnicas de fornecer CTM as entidades hospitalares que se disponibilizarem a oferecer este tratamento experimental a seus pacientes em estado grave sem qualquer custo por uso compassivo.

 

Comentário CCB:

O CCB é um CPC homologado pela ANVISA e tem plenas condições técnicas de receber as demandas de entidades hospitalares de pacientes graves acometidos pelo COVID-19. 

Fonte: Dr. Carlos Alexandre Ayoub (CRM 19.202) - Diretor Clínico do CCBDr. Nelson LizierDiretor Científico CCB

 

Publicado em: 27 de maio de 2020 às 21:05.

Central de Atendimento: 
São Paulo e Região: (11) 3059-0510 | DDG: 0800.770.1112 | E-mail: ccb@ccb.med.br
Av. Indianópolis, 1843/1861 - Indianópolis - São Paulo/SP - CEP: 04063-003