Notícias

9 de março de 2008

18.833 Km em busca de células-tronco

Reportagem televisiva anunciou possibilidade de cura para Felipe, portador de Atrofia Espinhal Progressiva Com 26 anos, e há 25 portador de Atrofia Espinhal Progressiva, Felipe dos Santos embarca dia 28 de maio para Beijing (Pequin-China), em busca de tratamento com células-tronco embrionárias. O procedimento ainda proibido no Brasil ocorre já no início de junho, dia 2, no Neuro-regeneration Repair and Functional Recovery, hospital especiliazado neste tipo de procedimento médico. Felipe, empresário do ramo de informática, conta que sua Atrofia Espinhal Progressiva foi descoberta quando tinha um ano de idade. A anomalia autossômica recessiva é de cunho genético, proibindo então a utilização de células-tronco adultas. As atrofias espinhais progressivas (AEP) constituem a forma mais comum de doença do neurônio motor em crianças e jovens adultos. Sua incidência é de cerca de 1/10.000. Clinicamente, os pacientes portadores de AEP apresentam uma fraqueza muscular progressiva,

4 de março de 2008

Nova terapia traz esperança para pacientes de Parkinson

Cientistas americanos conseguiram usar células clonadas para tratar Mal de Parkinson em camundongos, segundo uma pesquisa do Memorial Coam-Kettering Cancer Centre publicada na revista Nature Medicine. O estudo apresentou as melhores evidências até agora de que a controversa técnica pode, um dia, vir a ajudar pacientes de Mal de Parkinson. A equipe do Memorial coam-Kettering Cancer Centre afirma que esta é a primeira vez que o tratamento de animais com suas próprias células clonadas é bem sucedido. Especialistas britânicos afirmam que a pesquisa é promissora e animadora. Sem rejeição - No Mal de Parkinson, células nervosas da parte do cérebro que controla o movimento de músculos morrem ou ficam debilitadas. Normalmente essas células produzem uma substância química vital conhecida como dopamina, que permite a função coordenada dos músculos e movimentos do corpo. Na clonagem terapêutica, o núcleo de uma célula é inserida dentro de um óvulo que tev

27 de fevereiro de 2008

Cientistas japoneses criam rins e pâncreas em ratos com células-tronco

Cientistas da Universidade de Tóquio anunciaram que conseguiram gerar rins e pâncreas em ratos mediante células-tronco embrionárias, informou a agência local "Kyodo". Esse passo foi dado em ratos modificados para crescer sem esses órgãos, mediante a injeção de células-tronco embrionárias procedentes de outros ratos. Os pesquisadores indicaram que esperam que esse avanço possa ser aplicado no futuro em humanos, segundo a "Kyodo". "Demos um passo à frente" ao conseguir esta técnica que permite produzir órgãos dentro de animais domésticos, "mas agora devemos garantir sua segurança", indicou o professor Hiromitsu Nakauchi, que lidera a equipe responsável pela pesquisa. As células-tronco têm a capacidade de evoluir e se transformar em células específicas como ósseas, musculares ou neurônios, segundo os cientistas. A pesquisa dos cientistas japoneses será apresentada amanhã em Nagóia, durante uma reunião da Sociedade de Medicina Regenerativa do Japão. Os

19 de fevereiro de 2008

Pesquisadores manifestam expectativa por rede de informações sobre células-tronco

Mesmo com o adiamento da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o Artigo 5º da Lei de Biossegurança, que autoriza o uso de células-tronco embrionárias em pesquisas, o Ministério da Saúde manteve a decisão de criar o Instituto Nacional de Terapia Celular (INTC). Pesquisadores da área manifestam expectativa diante da possibilidade. O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, informou que a rede brasileira de terapia celular deverá estar em atividade em abril. Segundo Temporão, o INTC será uma rede de conhecimentos virtual, para troca de experiências sobre pesquisas com células-tronco por um conjunto de instituições de pesquisas, centros universitários e institutos, como o Instituto Nacional do Câncer (Inca) e o Ludwig em São Paulo. Há dois anos o país conta com uma rede de banco de sangue de cordão umbilical e placentário, com quatro laboratórios e cerca de 5 mil cordões armazenados. Para o pesquisador Antônio Campos de Carvalho, do Instituto Nacional de Cardiologia de Laranjeir

15 de fevereiro de 2008

Células-tronco ajudam bebê com paralisia cerebral a ter melhora

Criança consegue pular e falar depois que passou por tratamento inovador. O Caso de menina hoje com 2 anos é um marco nesse tipo de terapia. Com uma simples palavra no banco de trás do banco do carro, Chloe Levine, 2, apresentou um grande avanço. "Coco", disse a criança, expressando pela primeira vez seu apelido. Essas duas sílabas proferidas por Chloe são um marco na terapia com células-tronco, ajudando os cientistas a provar que injetar em um bebê células-tronco dele próprio pode restaurar um cérebro acometido por paralisia. Antes do tratamento em maio na Universidade Duke, na Carolina do Norte, Estados Unidos, Chloe tinha problema na fala e o lado direito do seu corpo estava quase paralisado. Agora ela consegue pular da cama, usando sua mão direita e aprendendo palavras novas todo dia. Esses experimentos da Duke expandem novamente a abrangência das restaurações de falhas corporais possibilitadas pelas células-tronco. Chloe com a mãe, Jenny, que fez questão de

Central de Atendimento: 
São Paulo e Região: (11) 3059-0510 | DDG: 0800.770.1112 | E-mail: ccb@ccb.med.br
Av. Indianópolis, 1843/1861 - Indianópolis - São Paulo/SP - CEP: 04063-003