Atendimento por WhatsApp 55 11 99508-6782

Notícias

9 de janeiro de 2020

Brasileiras criam biotinta para impressão 3D de tecido nervoso

Pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) estão desenvolvendo uma biotinta - uma tinta biológica - capaz de produzir tecidos neurais que simulem o cérebro humano, permitindo o estudo mais preciso de doenças neurodegenerativas, como Parkinson e Alzheimer. A biotinta será usada em uma bioimpressora 3D, que imprime diversas camadas até formar uma estrutura semelhante a um tecido ou órgão. Essa tecnologia tem sido testada por diversos grupos de pesquisa no mundo. No futuro, espera-se que esses tecidos e órgãos sintéticos possam ser usados em transplantes. Por enquanto, esses órgãos em miniatura estão sendo usados como modelos experimentais para testar fármacos e estudar mecanismos relacionados ao desenvolvimento de doenças. Dentre os testes já realizados por grupos do Brasil e do exterior, a bioimpressão de células do cérebro se mostra a mais difícil, dada a complexidade do sistema nervoso central, composto de diferentes células que interagem entre si, de forma ainda

12 de dezembro de 2019

Edição de DNA gera primeiros resultados práticos em pacientes humanos

Método polêmico, a edição de DNA por meio da tecnologia chamada CRISPR (Repetições Palindrômicas Curtas Agrupadas e Regularmente Interespaçadas, em tradução livre) começou a gerar seus primeiros resultados. Dois pacientes humanos tiveram efeitos de suas doenças eliminados com a técnica. Ambos tinham doenças genéticas no sangue. Em um deles, o corpo produzia poucos glóbulos brancos – talassemia – e havia começado o tratamento no mês de março. Já o outro – que começou o procedimento em abril – possuía anemia falciforme, ou seja, suas hemácias tinham um formato de foice.Enquanto o primeiro não necessita mais de transfusões de sangue, o segundo deixou de sentir dores quando tem seus vasos sanguíneos entupidos. O método é feito por meio de genes de células-tronco dos pacientes. Eles são levados a laboratórios e editados, de forma a ligar em uma versão de hemoglobina que costuma ser desativada quando a pessoa fica adulta. O último processo consiste em implantar novamente as células na me

5 de dezembro de 2019

Michael Schumacher passa por tratamento com células-tronco em Paris

O ex-piloto alemão Michael Schumacher chegou na última segunda-feira (9/11) a um hospital de Paris para realizar um tratamento sigiloso, de acordo com o jornal Le Parisien. A reportagem diz que o heptacampeão da Fórmula 1 vai passar por transfusões de células-tronco, o que funcionaria como uma ação anti-inflamatória sistêmica. Schumacher chegou ao Hospital Europeu Georges-Pompidou à tarde, trazido em uma ambulância com placa de Genebra, na Suíça. Ele foi levado para dentro da unidade em uma maca, coberto com um pano que impedia que fosse visto e cercado por dez seguranças. O tratamento será conduzido pelo cirurgião cardíaco Philippe Menasché, que é pioneiro no uso de terapia celular contra a insuficiência do coração. O cirurgião particular do ex-piloto, Gérard Saillant, também acompanha o procedimento. Menasché, que é pioneiro no uso de células cardíacas embrionárias em pacientes, faz parte do conselho de administração do Instituto do Cérebro e da Médula Óssea do Hospital Pitié-Salp

28 de novembro de 2019

Leite do dente: Células-tronco dos dentes produzem células mamárias

O nome "dente de leite" nunca teve um sentido tão profundo. Cientistas suíços descobriram que células-tronco dos dentes podem contribuir para a regeneração de órgãos não dentários, como as glândulas mamárias. Lucia Jimenez-Rojo e seus colegas da Universidade de Zurique demonstraram que células-tronco epiteliais dentárias de camundongos são capazes de gerar dutos mamários e até células produtoras de leite quando transplantadas para as glândulas mamárias das animais fêmeas. A equipe tirou proveito da capacidade das células-tronco adultas de gerar várias populações de células específicas de tecidos, por meio das chamadas células pluripotentes induzidas. Essas células podem substituir células danificadas e, portanto, representam uma boa alternativa aos tratamentos médicos clássicos para regeneração de tecidos. Eles demonstraram pela primeira vez que células-tronco epiteliais isoladas dos incisivos em crescimento de camundongos jovens são capazes de formar não apenas os tipos de célula

21 de novembro de 2019

Carne bovina e de peixe artificiais estão mais perto dos supermercados, afirmam empresas

Criar carne a partir de células não é mais ficção científica: um astronauta acaba de fazer isso a bordo da Estação Espacial Internacional. E a chegada desses produtos aos supermercados parece ser apenas questão de tempo. Os testes realizados no espaço em setembro permitiram criar tecidos de carne de vaca, coelho e peixe com uma impressora 3D. Essa nova tecnologia poderia “tornar possível as viagens de longa duração e renovar a exploração espacial”, por exemplo para Marte, explica à AFP Didier Toubia, o chefe da startup israelense Aleph Farms, que forneceu células para a experiência. “Mas nosso objetivo é vender carne na Terra”, diz. Segundo ele, esses testes permitiram demonstrar que é possível produzir carne longe de qualquer recurso natural quando for necessário. “Nossa meta não é substituir a agricultura tradicional”, afirma. “É ser uma alternativa melhor às explorações industriais”. Carne cultivada? O primeiro hambúrguer “in vitro”, criado a partir de células-tronco de vaca p

Central de Atendimento: 
São Paulo e Região: (11) 3059-0510 | DDG: 0800.770.1112 | E-mail: ccb@ccb.med.br
Av. Indianópolis, 1843/1861 - Indianópolis - São Paulo/SP - CEP: 04063-003