Atendimento por WhatsApp 55 11 99508-6782

Notícias

7 de julho de 2021

Bioimpressora 3D cria prótese a partir de células estaminais do cordão umbilical

Investigadores usaram uma impressora 3D para criar uma prótese de correção de um defeito ósseo numa vértebra, partindo de células estaminais do cordão umbilical Jean-Paul Pelissier/ Reuters A impressão 3D tem sido investigada com o objetivo de criar tecidos e órgãos para transplante e também biopróteses (não metálicas e feitas de material biológico) para corrigir defeitos nos ossos ou na cartilagem. Um estudo agora publicado no Journal of 3D Printing Medicine mostra que investigadores conseguiram criar uma prótese para corrigir um defeito ósseo numa vértebra, partindo de células estaminais do cordão umbilical. Bruna Moreira, investigadora da Crioestaminal, explica que “esta tecnologia consiste na deposição, camada por camada, de uma biotinta, geralmente composta por células, materiais biocompatíveis com função de suporte e moléculas bioativas. As células estaminais mesenquimais são das preferidas para bioimpressão, uma vez que se conseguem dividir indefinidamente e diferenciar em

30 de junho de 2021

Transplante de células-tronco “reseta” sistema imunológico e ajuda a tratar esclerose sistêmica

Os resultados são de uma pesquisa que avaliou dados clínicos e imunológicos de 22 pacientes transplantados no Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto da USP O transplante autólogo de células-tronco hematopoiéticas (AHSCT), indicado para casos graves de esclerose sistêmica (ES), reconstitui completamente o sistema imunológico e restaura a capacidade supressora dos linfócitos “B”, células de defesa do organismo. A avaliação é baseada em dados clínicos e imunológicos de 22 pacientes transplantados no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (HCFMRP) da USP. Os resultados contribuem para o entendimento da ES e a remissão da doença, a longo prazo. Do ponto de vista clínico, houve melhora nas funções pulmonares, nos movimentos articulares e diminuição do enrijecimento cutâneo provocado pelo excesso de produção de colágeno. “O transplante autólogo de células-tronco hematopoiéticas [aquelas que têm a capacidade de se autorrenovar] consiste na coleta de células-tronc

23 de junho de 2021

Pode ser possível rejuvenescer o cérebro para frear Alzheimer

Neurogênese adulta - Os neurocientistas, principalmente os que trabalham com doenças neurodegenerativas, como Alzheimer e Parkinson, sempre falam sobre dano e perda de células cerebrais. Estudos fundamentais iniciais indicam que é possível fomentar a neurogênese, o nascimento de novas células neurais, em adultos.[Imagem: NIN/Divulgação] Mas estudos recentes revelaram a presença de células recém-nascidas no hipocampo de pessoas idosas. Isso indica que, de modo geral, o chamado processo de neurogênese adulta não seria episódico, como os cientistas inicialmente supunham, mas se sustenta por toda a vida adulta. "Isso pode sugerir que os neurônios nascidos em nosso cérebro em nossa vida adulta podem contribuir para uma espécie de reserva cognitiva, que poderia mais tarde fornecer maior resiliência à perda de memória," comenta a professora Evgenia Salta, do Instituto Holandês de Neurociência. Com essa hipótese em mente, Salta e sua equipe investigaram se dar um reforço à neurogênese ad

16 de junho de 2021

Covid-19: terapia com células-tronco dobra chance de sobrevivência

O efeito é observado em estudo com 40 pacientes de covid-19 assistidos em UTIs devido ao agravamento da doença. Segundo os cientistas, o tratamento experimental age sobre a tempestade de citocinas, uma reação prejudicial do corpo à presença do Sars-CoV-2 O uso de células-tronco em indivíduos que enfrentam quadros críticos da covid-19 ganha força como um tratamento promissor. Em um estudo com 40 pacientes intubados devido às complicações da infecção pelo Sars-CoV-2, a terapia experimental ao menos dobrou a chance de sobrevivência, além de não ter gerado efeitos colaterais significativos. Detalhes do trabalho, conduzido na Faculdade de Medicina Universitas Indonésia, foram publicados na edição de ontem da revista científica Stem Cells Translational Medicine. A equipe usou células-tronco mesenquimais retiradas do cordão umbilical — é possível encontrá-las também na polpa dentária, na medula óssea e no tecido adiposo. Essas estruturas apresentam grande potencial de proliferação e atuam

9 de junho de 2021

Crescido 'coração pulsante' em laboratório, sendo esse o 1º órgão auto-organizado deste tipo

Os cientistas cresceram com sucesso um feixe de células-tronco humanas em um coração artificial do tamanho de uma semente de gergelim. Eles esperam que seu modelo de coração permita testar medicamentos cardíacos para a segurança e eficácia, antes de realizarem ensaios clínicos. A massa pulsante é o primeiro órgão em miniatura auto-organizado parecido com o coração humano, incluindo até uma câmara oca fechada por uma parede de tecido cardíaco, de acordo com a revista Cell. Órgãos cardíacos simples, ou cardioides, já foram construídos em laboratório antes, mas apenas usando um suporte, um molde ou uma matriz para reunir as células. Este "novo coração" se construiu espontaneamente. Outros estudos conseguiram crescer organoides auto-organizados de olho, cérebro e do intestino usando técnicas de sinalização conhecidas por coordenar o desenvolvimento cardíaco no embrião humano. "Não é que usamos algo diferente dos outros pesquisadores, mas usamos todos os sinais conhecidos", explicou

Central de Atendimento: 
São Paulo e Região: (11) 3059-0510 | DDG: 0800.770.1112 | E-mail: [email protected]
Av. Indianópolis, 1843/1861 - Indianópolis - São Paulo/SP - CEP: 04063-003