Notícias

25 de julho de 2019

Cientistas conseguem cultivar novos mini-cérebros em laboratórios

Estruturas podem levar a uma melhor compreensão de como o cérebro funciona, diminuindo o número de testes em animais. Pesquisadores japoneses desenvolveram estruturas em miniatura em forma de cérebro que mostram sinais de atividade semelhantes às redes neurais no cérebro humano. A pesquisa é especialmente importante para levar a uma melhor compreensão de como o cérebro funciona, diminuindo o número de testes em animais e ajudar a analisar novos medicamentos. O estudo foi publicado no periódico científicoStem Cell Reports. Os pesquisadores construíram "organoides cerebrais", feixes de tecidos humanos tridimensionais artificialmente crescidos que se assemelham à região do cérebro que abrangem diferentes atividades humanas, de habilidades motoras e sensoriais até nossos pensamentos e memória. Para isso, os cientistas utilizaram um grupo de células-tronco e as cultivaram em um ambiente que imitava o necessário para o desenvolvimento do cérebro. Em um período de três meses, células ind

6 de julho de 2019

Córnea artificial finalmente fica similar à córnea natural

Quando a córnea de uma pessoa é severamente danificada, é necessário fazer um transplante. No entanto, existem milhares de pacientes aguardando a doação de uma córnea para que possam ser operados. Por essa razão, muitos cientistas têm dedicado seus esforços ao desenvolvimento de uma córnea artificial. As córneas artificiais desenvolvidas até agora usam colágeno recombinante ou são feitas de substâncias químicas, como polímeros sintéticos. Infelizmente, esses materiais não se incorporam bem ao olho ou simplesmente não apresentam a transparência desejada após o implante da córnea. Uma solução para essas deficiências acaba de ser apresentada por Hyeonji Kim e seus colegas da Universidade Pohang de Ciência e Tecnologia, na Coreia do Sul. Biotinta - Kim usou estroma decelularizado e células-tronco de córneas naturais para criar uma biotinta, que pode então ser usada para fabricar as córneas artificiais em uma impressora 3D. Como essa córnea artificial é inteiramente feita com a bio

6 de julho de 2019

Células-tronco ajudam a recuperar área cerebral danificada por AVC

Pesquisa, liderada por neurologista da Escola de Medicina da Unifesp, conseguiu diminuir lesões provocadas por isquemia. Pesquisadores conseguiram diminuir lesões provocadas por isquemia cerebral no cérebro de camundongos usando células-tronco. Extraídas da medula óssea dos animais, as células-tronco mesenquimais – que originam tecidos – estavam em um suporte feito de um material que não só permitiu a sobrevivência e a multiplicação delas como impediu que migrassem para outras regiões do cérebro, como é comum ocorrer quando implantadas diretamente na lesão. A técnica pode ajudar na recuperação de vítimas de acidente vascular cerebral (AVC) isquêmico, quando uma veia do cérebro é bloqueada (trombo) e a parte do cérebro que deixa de ser irrigada tem morte de neurônios. A isquemia pode causar sequelas graves, como perda de movimentos, e mesmo levar à morte. Atualmente, há dois procedimentos possíveis para os pacientes que sofrem um AVC isquêmico. Um deles é a terapia de recanalização

4 de julho de 2019

Vitiligo: as causas e tratamentos para o controle da doença

Digital influencers como Sophia Alckmin e a modelo canadense Winnie Harlow estão ajudando a dissipar a nuvem de preconceitos e desinformação sobre o vitiligo. Ao falarem abertamente sobre o vitiligo e mostrarem que levam uma vida normal, a modelo canadense Winnie Harlow e a blogueira Sophia Alckmin, que revelou o problema há cerca de um ano no Instragram, ajudam a esclarecer e, consequentemente, diminuir o preconceito sobre a doença que afeta cerca de 1% da população mundial e 0,5% da brasileira. “Não sofro de vitiligo, não sou uma modelo com vitiligo. Sou Winnie, modelo, e por acaso tenho vitiligo. Parem de pôr esses títulos em mim”, desabafou ela em março passado no Instagram. “O principal e único sintoma da doença apresentado pela grande maioria dos pacientes é o surgimento de lesões cutâneas de hipopigmentação, ou seja, manchas brancas de tamanho variado na pele que se formam devido a diminuição ou ausência de melanina, pigmento produzido pelos melanócitos, nos locais afetados”

28 de junho de 2019

Grupo da Famema publica importante artigo sobre células-tronco

Artigo de grupo de pesquisadores da Famema (Faculdade de Medicina de Marília) foi publicado na mais recente edição da Experimental and Therapeutic Medicine (Volume 17, Nº 6, Junho/2019). O artigo com o título “Xenotransplantation of human dental pulp stem cells in platelet‑rich plasma for the treatment of full‑thickness articular cartilage defects in a rabbit model”, tem o Diretor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão da Famema, Prof. Dr. Spencer Luiz Marques Payão, como coordenador do grupo formado por pesquisadores da Famema, juntamente com profissionais do Hospital São Rafael de Salvador, da Unesp de Botucatu e da Universidade Sagrado Coração de Bauru. O trabalho científico avalia que células-tronco em estrutura de plasma rico em plaquetas (PRP) podem ser um tratamento promissor para o reparo da cartilagem. Descobriu-se que subpopulações de células-tronco da polpa dental humana (hDPSC) têm potencial angiogênico, neurogênico e regenerativo substancial quando comparadas com outras

Central de Atendimento: 
São Paulo e Região: (11) 3059-0510 | DDG: 0800.770.1112 | E-mail: ccb@ccb.med.br
Av. Indianópolis, 1843/1861 - Indianópolis - São Paulo/SP - CEP: 04063-003