Notícias

9 de maio de 2019

Inteligência artificial ultrapassa noções de limites na saúde

Se você acha que a tecnologia é cada vez mais importante para a humanidade, imagine o que ela representa para a saúde. Os avanços tecnológicos têm salvado um número cada vez maior de vidas, seja no diagnóstico, no tratamento ou na prevenção. Eles são responsáveis pelo descobrimento de novos medicamentos, equipamentos cada vez mais sofisticados, capazes de armazenar, organizar e interpretar dados, auxiliando a decidir quais caminhos tomar, de forma ágil, racional e de acordo com a maior quantidade possível de variáveis. Por isso, a inteligência artificial cresce de maneira inimaginável na área da medicina. Veja a plataforma IBM Watson, por exemplo, que integra cerca de 27 mil novos documentos por dia, e é “ensinada” a ler e entender mais de 2,5 milhões de artigos científicos produzidos por ano. Embora ainda existam inúmeras limitações, no diagnóstico de câncer de pulmão, Watson já registra um notável acerto de 90% dos casos. Também pelas “mãos” da inteligência artificial vem sendo r

3 de maio de 2019

De órgãos a tecido muscular: como as células-tronco estão sendo usadas em 3D

Quando a maioria das pessoas pensa em células-tronco, elas podem evocar uma imagem de pequenos pontos sob um microscópio. É difícil imaginar essas pequenas especificações sendo aplicadas a estruturas tridimensionais. Mas, como uma pintura pontilhista, como Um domingo à tarde na Ilha de La Grande Jatte, de Georges-Pierre Seurat, as células-tronco podem ser usadas para ajudar a construir coisas que nunca imaginaram ser possíveis. Dois estudos demonstram esse conceito de maneiras muito diferentes. Os engenheiros do MIT projetaram “nanoyarn” enrolado, mostrado aqui como uma interpretação do artista. As fibras torcidas são revestidas com células vivas e podem ser usadas para reparar músculos e tendões lesionados, mantendo sua flexibilidade. Imagem por Felice Frankel Um estudo no MIT usou nanofibras revestidas com células-tronco musculares e células-tronco mesenquimais, em um esforço para fornecer uma amplitude de movimento flexível para essas células-tronco. Centenas de milhares de nano

25 de abril de 2019

Cientistas imprimem coração em 3D feito a partir de células humanas

O protótipo produzido em Israel é o primeiro coração com vasos sanguíneos, ventrículos e câmaras impresso em laboratório. Cientistas da Universidade de Tel Aviv, em Jerusalém, apresentaram no dia 15 de abril de 2019 um coração vivo feito a partir de tecido humano com uma impressora 3D. O estudo, publicado na revista Advanced Science, abre caminho para a realização de transplantes sem risco de rejeição, já que o órgão é feito com células do próprio paciente. “Já haviam conseguido imprimir em 3D a estrutura de um coração, mas esta é a primeira vez que alguém conseguiu projetar e imprimir um coração inteiro, repleto de células, vasos sanguíneos, ventrículos e câmaras”, disse o professor Tal Dvir, que liderou a pesquisa, ressaltando que o coração está completo, vivo e palpitando. “Realizamos uma pequena biópsia de tecido adiposo do paciente, removemos todas as células e as separamos do colágeno e de outros biomateriais, as reprogramamos para que fossem células-tronco e, então, as dif

18 de abril de 2019

Empresa tem planos para imprimir corações humanos no espaço

Impressora 3D será lançada em julho para fabricar tecidos cardíacos na Estação Espacial Internacional — é o primeiro passo para imprimir corações em órbita Estação Espacial Internacional (EEI) (foto: Pixabay/Wikilimages/Creative Commons) Pensar em uma fábrica espacial com aparelhos biotecnológicos fabricando dezenas ou centenas de corações humanos na órbita terrestre parece mais um devaneio da trama do próximo blockbuster de ficção científica produzido por Hollywood. Por mais improvável que pareça esse vislumbre futurista, entretanto, ele pode estar mais perto de se concretizar do que imaginamos. Uma empresa sediada na pequena cidade de Greenville, Indiana, nos Estados Unidos, está prestes a lançar para a Estação Espacial Internacional (ISS) seu primeiro protótipo de uma impressora 3D cujo objetivo é justamente testar e aprimorar as complexas tecnologias necessárias para manufaturar tecidos cardíacos em um complexo científico orbital. Batizado de BioFabrication Facility (BFF), o d

12 de abril de 2019

Como a neurociência vai impactar o futuro da saúde?

O cérebro humano talvez seja o sistema mais complexo do universo, pois pode orquestrar comportamentos sofisticados e pensamentos, como linguagem, uso de ferramentas, pensamento simbólico, consciência e aprendizado cultural. De intrincadas redes no cérebro surgem extraordinárias obras de arte tecnológicas e artísticas, mas a sofisticação tem preço elevado. Alterações sutis no desenvolvimento precoce podem levar a distúrbios neurológicos, como o autismo e/ou esquizofrenia. Para encontrar pistas sobre essas alterações, eu e minha equipe de pesquisadores estamos trabalhando com a abordagem BMT (Brain Model Technology), ou seja, o que temos hoje é a tecnologia necessária para reproduzir modelo de cérebro humano em placa de laboratório, gerando, assim, modelos experimentais capazes de traduzir de maneira muito mais fiel a realidade desses indivíduos. Utilizando esses ‘minicérebros’, temos mostrado que os neurônios derivados de indivíduos com autismo são diferentes daqueles derivados de p

Central de Atendimento: 
São Paulo e Região: (11) 3059-0510 | DDG: 0800.770.1112 | E-mail: ccb@ccb.med.br
Av. Indianópolis, 1843/1861 - Indianópolis - São Paulo/SP - CEP: 04063-003