Notícias

3 de outubro de 2019

Estudo avalia a eficácia das células-tronco contra incontinência urinária

Primeiro trabalho do Brasil com essa abordagem busca mais uma solução para a incontinência urinária de esforço, que acomete de 15 a 35% das mulheres. Tossir, pegar um objeto pesado, correr de leve ou pular um obstáculo: atos banais do dia a dia como esses são capazes de fazer o xixi escapar de forma involuntária. É a incontinência urinária de esforço, problema que acomete de 15 a 35% das mulheres, sobretudo na faixa etária entre 45 e 65 anos. O parto vaginal e o envelhecimento são os principais fatores de risco para o desenvolvimento do problema. Isso porque podem afetar nervos, músculos, vasos sanguíneos e o tecido conectivo do assoalho pélvico, responsáveis pela manutenção da continência urinária. O tratamento pode ser cirúrgico ou à base de fisioterapia. O Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa (IIEP), em parceria com a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e o Laboratório Stemcorp, especializado em coleta de células-tronco, está avaliando pela primeira vez no Brasil uma

26 de setembro de 2019

Com o auxílio de células-tronco, cientistas japoneses procuram a cura da cegueira

Um grupo de pesquisadores da Universidade de Osaka, no Japão, está utilizando células-tronco para pesquisar um método de curar e tratas córneas doentes ou danificadas, que causam a cegueira. Os cientistas estão aguardando aprovação do Ministério de Saúde do Japão, para que a técnica seja aplicada em pessoas que possuem estes problemas. A córnea é uma camada transparente do olho que, além de desempenhar uma função protetora, também é fundamental para a visão. O problema é que devido a sua fragilidade, as córneas podem ser danificadas ou destruídas por alguma doença no olho e pode fazer a pessoa perder a visão. Pensando nesse tipo de pessoas, os cientistas reprogramaram células de um doador para um estado semelhante a do paciente. Estudos em animais provaram que isso pode salvar e restaurar a visão. Atualmente, transplantes de córnas de doadores que morreram são usados para tratar córneas danificadas ou doentes, mas tecidos de qualidade são muito escassos. Agora a equipe planeja

19 de setembro de 2019

Pesquisadores da Unesp desenvolvem gel para tratar fraturas em animais

Dois pesquisadores da Universidade Estadual Paulista (Unesp), do campus de Botucatu, apresentaram para possíveis investidores a pesquisa de desenvolvimento de um gel, produzido a partir de fibrina (proteína existente no sangue, associada a células-tronco), usado para acelerar a cicatrização óssea em tratamento de fraturas, inicialmente em animais de pequeno porte, como cães e gatos. O compartilhamento de informações ocorreu durante o Show Case Emerge Labs Eurofarma. O estudo é conduzido pelo pesquisador Rui Seabra Ferreira Júnior e pelo orientando de pós-doutorado Denis Jeronimo Svicero, do Centro de Estudos de Venenos e Animais Peçonhentos (Cevap), da Unesp. Antes da apresentação, ambos passaram seis semanas aprendendo estratégias de propriedade intelectual, planejamento de testes in vitro e clínicos, bem como a modelagem de negócio e transferência de tecnologia para alcançar escala industrial, associados à experiência de uma grande empresa. Empreendedorismo - O Emerge Labs 201,

13 de setembro de 2019

Cientistas conseguem rejuvenescer células cerebrais

Cientistas do Reino Unido descobriram uma maneira de reverter células-tronco mais velhas para um estado mais jovem e saudável. Os pesquisadores Michael Segel e Kevin Chalut, da Universidade de Cambridge abriram caminho para o desenvolvimento de tratamentos para doenças cerebrais relacionadas à idade, como as demências. À medida que nossos corpos envelhecem, músculos e articulações podem se tornar mais rígidos, tornando os movimentos mais difíceis e o enrijecimento cerebral relacionado à idade tem um impacto significativo na função das células-tronco cerebrais. Os cientistas descobriram como o aumento da rigidez cerebral gerado pelo envelhecimento causa disfunção das células-tronco do cérebro, as chamadas células progenitoras de oligodendrócitos (CPOs). Elas são um tipo de célula-tronco cerebral importante para manter a função normal do cérebro e para a regeneração da mielina, a bainha gordurosa que envolve os nossos nervos, que é danificada em doenças como a esclerose múltipla.

5 de setembro de 2019

Células-tronco auxiliam no tratamento de queimaduras oculares

O transplante de células-tronco é indicado para restabelecer a superfície do olho, destruída por traumas químicos ou doenças inflamatórias. O problema acomete, geralmente, pessoas que trabalham com produtos químicos alcalinos, como os de limpeza; com tinturas e cremes para alisar cabelo; com a cal na construção civil; e também com ácidos presentes em baterias de carro O transplante de células-tronco é indicado para restabelecer a superfície do olho, destruída por traumas químicos ou doenças inflamatórias, que vem sendo realizado de forma mais prevalente nos pacientes que sofreram queimaduras na córnea. Por mais que pareça incomum, há casos bastante frequentes deste tipo de acidente, principalmente em pessoas que trabalham com produtos químicos sem o manuseio correto dos mesmos. “Para o procedimento, também chamado de transplante de células-tronco do epitélio da córnea, ou transplante de limbo, as células-tronco adultas podem ser transplantadas diretamente nos olhos queimados, mas

Central de Atendimento: 
São Paulo e Região: (11) 3059-0510 | DDG: 0800.770.1112 | E-mail: ccb@ccb.med.br
Av. Indianópolis, 1843/1861 - Indianópolis - São Paulo/SP - CEP: 04063-003